Brasileira contesta uso de imagem em programa Fantástico

Deixe um comentário

Publicitária campo grandense acionará a justiça contra emissora de televisão por uso indevido de imagem. Laura do Amaral alega que reportagem exibida pelo ‘Fantástico’ na noite deste domingo (20) sobre cirurgias plásticas realizadas fora do Brasil foi deturpada e não mostrou o que realmente foi questionado…

Corumbá (MS)- Laura do Amaral, 37, brasileira operada na Bolívia, contesta o uso de imagem no programa global ‘Fantástico’, exibido neste domingo (20). A brasileira alega que o repórter do programa a procurou dizendo que a reportagem seria sobre prós e contras das cirurgias nos países vizinhos.

Laura disse ainda, que a entrevista que deu foi cortada, e que a Globo distorceu de forma que desse a impressão que ela fala mal dos procedimentos.

Em entrevista exclusiva ao Capital do Pantanal, a paciente desabafa – “ a nota fiscal em nome do hotel em que fiquei hospedada, foi para facilitar o pagamento, para não circular no país portando uma alta quantia com o risco de ser assaltada, da forma como colaram deu a impressão que o médico fez isso para não ter vinculo com a paciente, o que não é verdade”.

O médico irmão do gerente do Hotel é o único no país que possibilita essa forma de pagamento, os outros hotéis não possuem vinculo com os médicos. Laura acrescenta “ várias pacientes deram entrevistas de cirurgias de sucesso, que são a grande maioria, e estas não foram ao ar, a minha imagem foi usada de forma contrária a que o repórter Edson Feraz me informou.

“Fui procurada pelo repórter da TV globo ( equipe do fantástico) Edson Ferraz, no hotel 7 Calles em Santa Cruz de La Sierra, 2 dias após realizar uma cirurgia plástica (lipoaspiração) na Bolívia com o Dr Javier Cossio Salvatierra.

Eu me encontrava em repouso e aguardando as consultas médicas pós-operatórias para ser liberada para voltar ao Brasil. O repórter me pediu pra contar sobre minha cirurgia e viagem, porém eu perguntei qual era a intenção da matéria, pois deixei muito claro a ele e ao cinegrafista que se fosse pra falar mal eu não daria a entrevista, pois não tenho nada de mau pra falar do atendimento médico, procedimento cirúrgico, hospitais…

O tal repórter me assegurou que era apenas um serviço alertando dos riscos e dos cuidados que mulheres deveriam ter ao fazer uma operação fora do país. Eu voltei a ressaltar que não sou irresponsável e tomei todos os cuidados necessários e exames pré-cirurgico que deveria fazer em uma cirurgia, seja qual for o país do procedimento. Edsom Ferraz me garantiu que não ia expor minha imagem de forma negativa, e que a “TV Globo jamais faria isso, pois é uma empresa responsável.”

Ao chegar ao Brasil entrei em contato com o chefe de reportagem da TV Morena (afiliada GLOBO no MS), Paulo Yafusso e disse que se a intenção da matéria fosse criticar o serviço médico do País vizinho (Bolívia) eu não autorizaria a utilização de minha imagem.

No dia 20/11 logo após a reportagem exibida no Fantástico recebi uma ligação de uma amiga preocupada, pois me viu na reportagem e pensou que algo de errado tinha me acontecido e isso jamais aconteceu. Estou ótima!!!

Nesta manha (21), recebi várias mensagens na rede social Facebook e MSN, me chamando de doida, louca e irresponsável.

De forma nenhuma posso admitir tais adjetivos pela irresponsabilidade de uma emissora de TV. Em uma das respostas eu afirmei que fui doida ao confiar na equipe do Fantástico.

Fui muito bem atendida na Bolívia, meu procedimento médico foi tranquilo e com o resultado maravilhoso. Estou muito contente ”, disse Laura do Amaral em entrevista exclusiva.

A equipe do Capital do Pantanal, entrou em contato com várias pacientes operadas na Bolívia, onde todas falam que foram muito bem tratadas e estão em excelentes condições.

“Eu dei entrevista para a equipe do Fantástico, e ele me garantiu que entraria nas cirurgias que dão certo, e que essa era a chamada. Nessa entrevista eu disse que me consultei com vários médicos, e me senti segura para operar com o escolhido, o problema das cirurgias que não dão certo, é porque as pacientes omitem a situação de saúde. A forma como foi veiculado foi para acabar com o país vizinho, dentre milhões de cirurgias que são realizadas lá, e dão certo, não tem comparação com o que ocorre no Brasil, fora que as clinicas são de alta tecnologia”, disse M.C.S ao Capital.

“Tenho sete amigas que operaram lá, e quem conhece os médicos sabe que o reporter aproveitou algumas declarações, como por exemplo a que dizia sobre as assistentes que pegam as pacientes no aeroporto, agiram de má fé, pois isso é feito quando a paciente pede porque está insegura e nao conhece o país. Já passei por outros cirurgiões no Brasil que não resolveram meu problema, fui conseguir o que queria em Santa Cruz, e ainda – o médico não quis fazer o implante mamário em mim, pois já faria a rinoplastia, e ele disse que em minha condição de saúde eu não conseguiria manter dois pós operatórios, fiquei triste mas não insisti, pois tenho consciência do que é uma intervenção médica e os riscos. “ D.M completa “ voltaria quantas vezes fosse preciso”.

De acordo com a empresária A.S que realizou quatro cirurgias em Santa Cruz de La Sierra com o médico Nadir Salaues Hurtado, a reportagem exibida não condiz com a realidade vivenciada naquele país durante seu pós operatório, “ fui quatro vezes em épocas diferentes, na primeira vez fiz uma lipoescultura com blefaroplastia, fiquei internada 24h, tive alta, fui para o hotel, fiquei mais cinco dias até a retirada dos pontos dos olhos, feita pelo próprio médico, só então tive alta. A intervenção seguinte foi em julho deste ano quando fiz lifting facial e rinoplastia com o mesmo médico, muito bem sucedida, entretanto ele exigiu, devido ao dreno, que eu ficasse naquele país por uma semana, por precaução, até que estivesse completamente desinchada. O pontos foram retirados pelo médico Elder Horara, na cidade brasileira- Corumbá- que surpreendeu-se com a cirurgia tão perfeita realizada pelo médico boliviano.

As situações mais graves que não foram mostradas no Fantástico são duas Corumbaenses, a primeira de uma jornalista que teve o nariz mutilado por um cirurgião brasileiro – ” ele tentou fazer uma correção no meu nariz e deixou um grande defeito, e após uma nova intervenção para tentar corrigir, ficou pior, fui para a capital onde o médico Alcebiedes Dure conseguiu melhorar, mas ainda assim continuei com um defeito na ponta. Soube do médico especialista em reconstrução Nadir Salaues, fui para Santa Cruz, e ele corrigiu todos os defeitos com apenas uma cirurgia, ainda fiz um lifting facial que foi um sucesso, se tivesse que fazer faria tudo novamente e na Bolívia”, ressaltou S.L que já encaminhou mais de 20 pacientes, dentre médicos para fazer cirurgias com Nadir Salauez, e todos com excelentes resultados.

O médico boliviano Carlos Lino tirou do desespero a profissional liberal .T.R.D que há 16 anos foi uma das vitimas do cirurgião plástico campo-grandense Alberto Rondon, acusado de mutilar centenas de mulheres no Mato Grosso do Sul, T.R.D teve os seios mutilado, após entrar na justiça, 11 anos depois conseguiu uma nova intervenção gratuita com 11 dos maiores cirurgiões plásticos do Brasil, membros do Conselho Federal de Cirurgia Plástica que vieram ao estado com ordem judicial para corrigir o dano causado em parte das mulheres que entraram na justiça junto a T.R.D.

Após essa cirurgia que ela acreditava que seria a última, ela precisou de mais cinco correções no Brasil – “ quando me falaram dos ótimos resultados das cirurgias na Bolivia, imaginei que essa seria a minha chance, eu não agüentava mais olhar para o espelho e ver meu corpo deformado. Cheguei na Bolívia e procurei o cirurgião Carlos Lino, que em apenas uma cirurgia e um novo implante de silicone- de maneira correta- ele acertou. Não me devolveu somente a auto estima, me devolveu a alegria de viver e a esperança de que há gente competente neste mundo, desabafou a paciente, que complementou, “faria novamente e na Bolívia”.

Esta semana dois médicos chegaram da Bolívia, satisfeitos e elogiando o trabalho e as clinicas bolivianas. “Foi erro jornalístico, que não mostrou os dois lados, o repórter foi infeliz, e mentiroso, pois pediu entrevistas alegando que mostraria os dois lados, e não o fez” relatou a médica.

O jornal Capital do Pantanal foi procurado por mulheres do Rio de Janeiro, Cuiabá, Rondonópolis dentre outros lugares, todas estão revoltadas com a má fé do repórter, “querem destruir a imagem dos médicos que são profissionais, acredito que assim como no Brasil também há péssimos profissionais lá, mas são poucos dentre os maravilhosos que encontrei.” Disse P.P, da cidade de Rondonópolis-MT.

No site de rede social Facebook podemos encontrar vários depoimentos de pacientes felizes com os resultados e indignadas com a matéria exibida. São muitos depoimentos a favor que não cabem na matéria, usaram dois fatos isolados para denegrir a imagem do país. Mortes ocorrem em maior quantidade no Brasil, em com um numero menor de intervenções.

Fonte: Capital do Pantanal por Monyque Coelho

Anúncios

Informe erros nesta página

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s